Haja coração…

As horas pareciam não passar, olhava no relógio e o mesmo ainda marcava apenas duas horas da tarde, então resolvi dormir. Acordei faltando poucos minutos pra partida, me sentei em frente à tv, preparada, como uma guerreira, pois os jogadores não são os únicos guerreiros, mas nós também. E eu, mesmo não podendo estar ali, no estádio, estava ansiosa, como os dezoito mil ali presentes.

O jogo começou, com Cruzeiro pressionando muito, também, enfrentava o time reserva –  praticamente júnior – do Palmeiras, parecia que as coisas se facilitariam, mas não foi bem assim.

Mesmo com toda pressão do time celeste, o Cruzeiro não conseguia balançar as redes, e o Palmeiras, para o meu desespero, com o passar dos minutos, ia acertando o time. Mas, me tranquilizei, acabara o primeiro tempo, e esperava um segundo tempo melhor, ainda mais recheado de emoções.

Mas, para minha maior tristeza, o time alviverde abre o placar aos oito minutos. Foi algo inacreditável, ainda mais que havia dois placares favoráveis a nós – o Fluminense e o Corinthians estavam empatando. Não acreditava que tudo passaria assim tão perto.

O Cruzeiro estava muito afobado, tentava fazer jogada pelo alto, sempre perdendo. Wellington Paulista e Thiago Ribeiro deram show de horrores, para piorar ainda mais a minha aflição.

Mas o cara estava lá, um dos melhores volantes do campeonato, Henrique, em sua melhor partida pelo Cruzeiro neste ano, imbatível, marcava e também avançava, e como avançava. Numa jogada com a bola no chão, ele recebeu o passe de Diego Renan e mandou para o fundo das redes. Senti-me mais bem aliviada, não era possível que o Cruzeiro perderia para um time inferior e que nem estava tão entrosado – apesar da belíssima atuação do Palmeiras, mesmo com a derrota.

Os minutos iam passando aproximando-se do fim, o caldeirão, a arena calou-se também. Os quarenta e seis minutos se aproximavam e eu não entendia porque o Wallyson tanto avançava, e logo passava a bola para alguém, não havia segurança.

Mas quem diria que o gol do vice-campeonato sairia dos pés dele, por fim, o que eu tanto pedira, foi atendido, o moleque finalmente acreditou em si, avançou, para a meta tão desejada, num chute forte, sem chances para o goleiro Bruno, Wallyson fez dois a um para o Cruzeiro, uma virada histórica.

Todavia, infelizmente, o Fluminense já tinha feito o seu gol, do título, no Engenhão. Mas não fico triste por não termos conseguido o título, mas sim fico feliz, porque a justiça foi feita, o Flu também foi merecedor da taça, mas o Corinthians, esse que foi tanto beneficiado pela arbitragem, na final, na ultima rodada, empatou com o rebaixado Goiás, ficando apenas com o terceiro lugar. Tem coisa melhor do que essa? Ver a justiça sendo feita?

Parabéns Cruzeiro, que também é um time de guerreiros, fez uma vitória de virada belíssima. Eu que nem imaginava que sobraria tanta emoção para a final. Desligo minha tv e saio, com a felicidade estampada no rosto, pois apesar de não sairmos com o título, eu vi que um time que tentou, e que fez sua parte, até o último minuto.

Roberta

Anúncios

Uma resposta em “Haja coração…

  1. Parabens Cruzeiro Pelo 90 anos de Glória e conquista e muita raça e força nao consigo explicar meu amor por vooç ❤
    Parabens 90 anos de 1921 a 2011

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s