90 anos: Mistura de sentimentos – 2003 por Alex

Continuando a série dos 90 anos do Cruzeiro, e por hoje ser – 02/01/2011 – um dia tão especial, vamos falar da página heróica mais recente que ainda esta na nossa memória e que muitos ainda lembram capítulo a capítulo: o ano de 2003. O time comandado por Luxemburgo conquistou os admiradores do mundo e os maiores títulos nacionais em uma temporada.

Mas aqui será retratado de uma forma diferente… nosso próprio craque e camisa 10 daquela esquadra aceitou nos contar do sentimento de ser campeão – não apenas como jogador, mas se tornando torcedor do Cruzeiro Esporte Clube, mandando também os parabéns por esse aniversário. (Luciana)

Mistura de sentimentos

Quando recebi o terceiro cartão amarelo diante do Paraná Clube em Curitiba, me deu um sentimento profundo de tristeza. Vi naquele lance que não participaria teoricamente da partida decisiva. Tinha absoluta certeza que não passaria da partida do Paysandu, e realmente não passou.

Capa do caderno de Esportes do EM no dia 30/11/2003

Tive uma semana totalmente diferente!!! Fui incumbido pelo Vanderlei de arrumar tudo para festa que foi realizada após a partida no Ouro Minas. Sentava na sala da Dimara Oliveira e começávamos os contatos. Quando ia ao treino só ficava mais conversando, juntamente com o Cris e o Ari para diminuir um pouco a ansiedade do grupo que tinha absoluta certeza do título, mas queria que fosse na próxima partida.

No domingo tive um dia de torcedor, não acordei na concentração, acordei em casa com minha mulher super ansiosa pelo jogo, e com vizinhos doidos para gritar “é campeão”!!!

Sai de casa por volta das 11 horas da manha, passei no hotel, peguei as famílias do mestre Luxemburgo e do meu grande parceiro Aristizabal. Almoçamos no Xapuri, muito próximo a Toca da Raposa. Não era jogador nesse dia, era mais um cruzeirense no meio de milhares.

Tinha um misto de frustração e ansiedade. Frustrado por não poder jogar e ansioso para, como um bom cruzeirense, soltar o grito de campeão.

Chegando na Toca, vi um grupo de jogadores totalmente compenetrados na partida. Desejei boa sorte a eles e me juntei aos familiares que seguiram em um ônibus atrás do ônibus do time.

Abandonei temporariamente o Mineirão e fixei pensamentos no Serra Dourada. Deu certo!!!! O Goiás ganhava fácil no centro-oeste brasileiro.

Quando o Mota fez o segundo gol, desci carregando comigo todos os familiares que encontrava e levei-os comigo para dentro do gramado do Mineirão. Entrando no campo fui abraçar o Luxemburgo e ele me disse “sai daqui, ainda não acabou”, respondi: “ja era mestre, somos campeões”. Olhei para minha esposa e ela me disse, “você merece, o sacrifício por esse título foi enorme, não se segure, comemore”. Quando ela terminou a frase, sai em disparada para o torcedor, estava mais do que misturado meu sentimento.Auremar de Castro / EM

Eu atleta-torcedor, ou torcedor-jogador, não sei ate hoje.

Nasci coxa-branca, com orgulho, não escondo de ninguem.

Tive alegrias enormes no Palmeiras.

Mas nessa tarde, naquela corrida vibrante com o torcedor, nasceu um cruzeirense.

Fui infeliz na primeira passagem, cheguei sob uma desconfiança grande em 2002, mas sempre fui respeitado e o torcedor cruzeirense me deu essa oportunidade de me tornar um pouquinho um deles.

Obrigado ao Luxemburgo pela insistência em me contratar, obrigado a diretoria por aceitar essa insistência do Luxa e muitíssimo obrigado ao torcedor cruzeirense pelo carinho.

Obrigado aquele grupo de trabalho fantástico que tivemos.

Parabéns Cruzeiro por mais um ano de vida.

Um dos grandes clubes do futebol mundial que merece todos os aplausos.

Abraços a todos os cruzeirenses.

Alex

Anúncios

12 respostas em “90 anos: Mistura de sentimentos – 2003 por Alex

  1. Alex carrega consigo a imagem do melhor time da década, o Cruzeiro de 2003.
    Foi o maestro, o mágico, o ídolo, e também simplesmente o jogador, o torcedor…
    Emocionante ler sobre seus sentimentos naquele dia em que se fechava um ciclo de glórias para o Cruzeiro. Muitos atletas sonham em vestir essa linda camisa. Poucos conseguem. E Alex a vestiu com perfeição.
    Nunca serão esquecidos. Nem o dia , e nem o ídolo. Valeu, Alex!

    Parabéns, Cruzeiro! Te amo muito!

  2. De arrepiar!
    Me lembrei daquele dia.
    Eu e papai vendo o jogo (tinha tbm minha mãe, minha irmã… acho q meu irmã tbm)…
    Nós dois chorando nos minutos finais…
    choro duas vezes hoje… pela falta do meu herói, que se foi há 3 meses e pouco e pela emoção que a lembrança daquele título me traz.

  3. Parabéns ao Cruzeiro e aos Cruzeirenses !
    E parabéns Luciana(e equipe) pelo ótimo trabalho e post!

    #Cruzeiro90anos!

  4. 2003 foi um ano magico nunca mais me esquecerei desse ano eu tenho orgulho de ser cruzeirense!!!!!!!

  5. Emocionante! Como é bom ser Cruzeirense e ter ídolos como o Alex, homens de fibra, craque de bola. Eu estava lá nesse dia! Aliás, em 2003, estava em todas as conquistas do Cruzeiro. Parabéns pelo belo trabalho, Luciana! Parabéns Cruzeiro!

  6. Uma declaração de amor como esta, do ídolo Alex, deveria calar fundo na alma dos dirigentes do clube, caso eles, além de mandatários, fossem, também, torcedores. É raro ver-se, hoje em dia, no meio futebolístico, uma tal demonstração de carinho de um profissional por um clube que defendeu. Era o caso de Perrella e cia. superarem todos os obstáculos, lutarem com denodo por alguma parceria e trazerem Alex de volta em 2011. Tenho certeza de que esse estupendo craque, além de homem de grande caráter, nos daria, ainda, e de muito bom grado, imensas alegrias neste novo ano. Com Alex, a volta do Kléber (sim, senhor) e um zagueiro de verdade, teríamos um ano tão ou mais glorioso que o de 2003. Porém, fica a mesma pergunta : Perrella sonhará como nós, os torcedores?!…

    • Eu sou muito fã do Alex e gostaria muito da sua volta, mas entendo que agora um investimento na sua volta não seria muito certo, prq no momento temos um bom camisa 10 e o investimento teria que ser mto grande.
      Eu gosto do Kleber e gostaria muito da sua volta, mas o Palmeiras não libera.
      E em relação a “paixão do torcedor”, caso a diretoria entedesse isso…. “abusaria” bem mais da torcida, assim como o Internacional faz…. mas eles não entendem isso.
      Deixo claro que no momento, não seria mto inteligente o alto investimento.. mas nada impede de trazer depois! =D

  7. Entende-se que, no futebol atual, as diretorias de clubes organizados devem ter, mesmo, responsabilidade fiscal e financeira, com o intuito de preservá-los como instituição. Dito isso, vem o outro lado da moeda : futebol é paixão; não pode ser só administração financeira visando fechamento positivo de balanços contábeis. Não é possível que, dentre os grandes clubes do Brasil, apenas o Cruzeiro viva continuamente essa situação de penúria financeira, a despeito de ser um clube eminentemente vendedor de jogadores e nunca comprador. Fora os clubes do chamado “eixo” RJ/SP, por motivos conhecidos, há o exemplo dos gaúchos Grêmio e Inter. Estes têm patrocínios equivalentes aos do Cruzeiro e, no entanto, sabem conciliar o equilíbrio financeiro com a formação de times competitivos, sempre com grandes jogadores. Não há sentido em convocar-se a participação da torcida, no início de competições importantes, se a ela não se dão motivos de empolgação. A torcida quer ver time forte, competitivo, com nomes que lhe tragam confiança de conquistas e títulos. Futebol, repito, não é similar a uma grande empresa, onde se visam, apenas, lucros. Os dirigentes têm que ter essa sensibilidade para com o motor do clube — sua torcida apaixonada — e, assim, procurar meios de atender aos seus anseios de vitórias. Esforçando-se, para tal, em estabelecer novas parcerias e estratégias de marketing e arrecadação, em vez de cada vez mais debilitar o potencial do time com a venda dos principais jogadores. Ou, então, ter a dignidade de passar o bastão de comando do clube a pessoas com mentalidade mais arejada e ousada, que vejam no futebol não apenas “negócios”, mas, também e fundamentalmente, um fator de paixão popular.

  8. Esse texto do Alex, nos mostra que ele de fato é idolo….E quanto respeito ele tem pelo Maior de Minas. Fantástico o texto.

  9. Meu Deus ,estou arrepiada até a alma.Infelizmente não tive a oportunidade de curtir o Cruzeirão sendo campeão em 2003 ,era muito nova e não era uma fã do futebol ,na verdade odiava mas o nosso ZÊRO e meu amado e adorado pai, que faz muita falta, me fizeram mudar de ideia é claro,mas com esse relato do nosso ídolo Alex posso ver e sentir (não que eu ja não sentisse antes) a emoção do momento, e espero nesse ano de 2011 ver com meus próprios olhos o Cruzeiro sendo campeão ,e torço para que seja da Libertadores e em cima do maldito Estudinates,ainda não esqueci 2009.Obrigado a todas as meninas do blog ,e parabéns ,é muito bom ver as mulheres presentes no mundo do futebol, me sinto representada,e que todos nós da China Azul sejamos muito felizes nesse ano,abraços meus Irmãos!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s