Cau-te-la

Publicado por  em sex, 20/07/2012 em Crônicas,GeralPublicações

É amigos, estamos vivendo um momento em que é importante a palavra chave do querido Juarez Roth: CAU-TE-LA.

Eu sei que a torcida é sempre 8 ou 80: 8 pras derrotas e 80 pras vitórias.

Não podemos dizer que estamos no caminho do Z4 ou do G4, precisamos é de cautela. Cautela inclusive pra aguentar os próximos “primeiros tempos” de jogo feio, porque praticamente todas as nossas vitórias nesse brasileiro tiveram os 45 minutos iniciais sofridos. Mas se é assim que ganhamos 3 pontos, por que não continuar assim até que finalmente saibamos o nosso limite?

Foto: Leandro Moraes | Uol

Conhecemos o elenco celeste, sabemos que é bastante limitado. Falta os laterais a tanto tempo, mas temos que perceber a evolução do Diego Renan, principalmente na marcação, e que o Ceará, mesmo ainda estando fora de forma, só acrescentou qualidade à lateral no jogo contra a Lusa. Mas digo isso com “cautela”, já que é precipitado concluir qualquer coisa.

Borges também veio apenas para acrescentar. Apesar do gol perdido contra a Lusa, ele fez um excelente jogo sem a bola. Puxava marcação, buscava o jogo (já que a bola não chegava redonda pra ele), sofreu o pênalti e ajudou o Diego no segundo gol. Se encontrar um bom companheiro pro ataque e um bom suporte do meio-campo (já que o Montillo carece de um cara pra dividir a responsabilidade – Riquelme até seria uma boa), podemos ver o artilheiro do Brasileirão de 2011 em campo novamente.

Já escrevi anteriormente aqui e repito: um bom time não é formado em um piscar de olhos.

Temos que ter paciência e observar as pequenas evoluções. Falando isso, os realistas (ou pessimistas, como quiserem…) pensarão: mas até quando? Eu lhes respondo com outra pergunta: já repararam o quanto vem melhorando desde a saída do Mancini?

Fui a algumas partidas do mineiro e aos jogos contra o Figueirense, Vasco, São Paulo e Grêmio, além de assistir aos outros pela tv e vos digo: o time evoluiu demais ao meu ponto de vista! Apesar da catástrofe que foi o jogo contra o Grêmio, creio que, infelizmente, derrapadas e apagões no meio do caminho de times em formação sempre estarão presentes.

Sim, estamos “em formação”, se não repararam ainda. Mas creio que estamos no caminho certo. Recebemos reforços pontuais, de experiência e de jovens da base (Lucas Silva fez uma boa estreia, que apesar dos erros esperados pelo nervosismo, percebemos que qualidade ele tem e ainda pode evoluir muito).

2011 foi um ano marcante para nós, cruzeirenses, e de um tombo tão grande (sei que não caímos, mas esse é um fundo de poço máximo que o Cruzeiro chegou em um Brasileiro, ok?) a reestruturação deveria ser feita de modo inteligente.

Infelizmente, a reestruturação começou tarde em 2012, mas agora temos que, como diz o Alisson, “ensaiar ao vivo” e buscar afinar os instrumentos para que ao final estejamos satisfeitos. Se esperam que esse Cruzeiro com o Celso Roth venha ser um novo “Barcelona das Américas” já contra o Flamengo, sinto muito decepcionar, mas é melhor torcer pelo Real Madrid quando a temporada espanhola começar.

Busquemos cautela, tenhamos cautela. Cuidado com a depressão ou com a euforia exagerada. Infelizmente, ainda teremos tropeços, mas se os ventos continuarem soprando como estão, iremos evoluir mais do que decepcionar.

Siga a bloguerreira no twitter: @LucianaBois

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s