O prazer do futebol: Pelo Cruzeiro e pelo impossível.

UEFA

Não, não. O Cruzeiro não trata sempre do impossível, mas gosto do impossível. Meu amor pelo Cruzeiro é daqueles que nem a alma entende direito, de todas as situações e para todas as horas.

Mas (também) torço pelo impossível.

Gosto de futebol: o esporte que faz dos homens, meninos e dos mesmos meninos, serem clamados como guerreiros.

Quando paro em frente a TV, gosto de assistir futebol de qualquer parte do planeta por ser o futebol e pra ver aquele “quase” impossível.

Não tenho times B ou locais para outras regiões. Mas tenho um grande apreço pelo impossível. (Não é o caso de ser torcedora do atlético mineiro, mas pelo resto impossível mais possível hehe)

A graça do futebol aparece ai. Quando ninguém espera, quando o previsível passa longe do acontecido. É a batalha dos aflitos, a falta do Joãozinho, o Fluminense de 2009, o Palmeiras na Libertadores desse ano, o Cruzeiro na final da Copa do Brasil de 2000 e hoje, o Bayern ter ganhado num placar acumulado por 7×0 do grande Barcelona… Eis porque amo esse esporte! Sem fórmulas mágicas, sem comodismos. Joga-se com o “regulamento de baixo do braço” só depois que correu atrás do gol pra poder chegar nessa situação.

Esse é o motivo de ter gostado ainda mais de 2003 (além do motivo óbvio de ser o Cruzeiro), tinha aquela vontade de ver o meu time ganhando tudo enquanto os comentaristas diziam “mas é o Santos”, “mas é o Flamengo”… ahhhh! Aqui é Cruzeiro, e daí se é Santos ou Flamengo?

Futebol é lindo! É o motivo para ter rodas de conversa todos os dias, mas sem saber até onde vai essa conversa. É a luta por vencer o previsível e se tornar realidade.

É entender que “tropeiro”, “borderô”, “corneta” e “imagina na copa” pode ter um sentido maior que o literal. Coisa de gente maluca e com nada pra fazer. Mas ainda assim, discute isso e deixa seus adeptos sentados em frente a tv em pleno feriado do dia do trabalhador numa quarta feira.

Verdade que gosto de torcer pelos que estão atrás do placar e me divirto vendo goleadas. Não é contradição. Mas é que quando o time “relaxa”, fica sem futebol. Quando o outro busca o empate, temos um futebol. Eis o prazer do bom futebol!

Se bem que o Cruzeiro goleou o Villa Nova e supliquei por mais um tempo. Além de ser o Cruzeiro – que vem em primeiro lugar no futebol, claro! – estava ali um bom futebol do meu clube que não se via a tempos.

Sinto muito pela final da Champions, mas meu gosto pelo impossível vem em segundo lugar, que em primeiro está o Cruzeiro. Torcer pelo Bayern ou pelo Borussia ainda não entrou em cogitação.

Neste caso, torcerei sempre pro outro time buscar o empate e ser empate eterno, ao menos teremos um bom futebol (e nenhum deles merece ganhar – recalque). É… futebol.

Anúncios

Uma resposta em “O prazer do futebol: Pelo Cruzeiro e pelo impossível.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s