Cruzeiro Campeão – nome e sobrenome!

Campeão – Muito mais importante do que competir é vencer. Essa é a lição número 1 dos campeões. Eles são ambiciosos, perfeccionistas e lutam, obstinadamente, pela vitória. Mesmo os que não são favoritos sentem-se frustrados quando perdem.

Tostão

Somos campeões caramba! Acreditar nunca é demais!

Eu confiava nesse time, continuei confiando, graças a Deus somos campeões do campeonato estadual!

Agora vamos continuar com essa garra de guerreiros, somos campeões e temos que continuar com esse espírito! Temos uma grande equipe, somos fortes e encaixando os laterais, que venha o Campeonato Brasileiro!

Zeeeeeeeeeeeeeeeroooooooooooooooooooooooooooooooooo!

Depois escrevo direito sobre o jogo, mas pra começar: foi tenso, mas foi guerreiro!

Pronto, chegou o depois.

Euforia passou (um pouquinho). Vamos ao jogo…

O Cruzeiro se manteve superior nos dois tempos, mas o que não significou bola na rede no primeiro tempo. O esquema que Cuca montou, mesmo não tendo Montillo funcionou.

Leandro Guerreiro entrou bem, jogou bem. Mas um erro dele foi quase fatal, por isso não digo que foi tão destaque assim, mas de longe foi o melhor jogo que fez com a camisa celeste.

Gil foi um baita zagueiro em campo, sem medo de dividir (bem) as bolas, desarmou Mancine e Magno Alves com facilidade e algumas vezes desarmou Patrick também, que se atrevia a tentar repetir um gol na meta celeste.

O ataque celeste, com Wallyson e Thiago Ribeiro, trouxe de volta para o Cruzeiro a movimentação do time que encantou a todos nesse inicio de ano. Apesar de ter ficado sumido em campo, Wallyson apareceu na hora certa e no momento certo (como esta acostumando) no segundo tempo e marcou para a equipe celeste.

Fábio agarrou esse título para o Cruzeiro quando se agigantou – mais ainda – pra cima do Magno Alves. Precisa de explicar o porquê temos o melhor goleiro do Brasil em atividade?

Victorino jogou muito bem também, monstro na zaga! Roger e Gilberto – com um belo gol de falta também pra fechar o título – mostraram que nem briguinha por vaga em time tira uma garra por vitória. Os dois jogaram bem demais, com um entrosamento espetacular.

Ainda precisamos de reforços nas laterais. Quero ver como o Vítor vai se comportar, mas “vamos aguardar”.

Mas muito obrigada Cruzeiro por hoje ter sido guerreiro e ter jogado com alma!

E eu deixo claro – mais uma vez – que confio nesse time. Com o psicológico em alta agora, só continuar com o espírito de campeão, que o “ser” campeão vem com o tempo!

Simbora Cruzeiro!

Luciana