Obrigada, #Cruzeiro91anos

É um amor que não tem como descrever, é uma paixão que só entende quem sente, é a felicidade de um instante que faz abrir um sorriso pelo resto do dia.

Lembra daquele jogo? Daquele gol? Eu lembro. É aquele, que a lembrança não é apenas uma imagem, mas um sentimento.

Sabe aquele grito que eu dei durante o gol naquele jogo? É o que tenho vontade de gritar quando me lembro daquele segundo de lance. Não se diz respeito apenas a uma história de uma instituição que você aprende a respeitar, mas sobre a história daquele sentimento que ele um dia nos deu.

A maioria dos cruzeirenses já decorou a ladainha dos nossos títulos das “duas Libertadores, quatro Copas do Brasil, dois Brasileiros, duas Supercopas”, mas não é somente para demonstrar a nossa grandiosidade comparado à tantos outros por ai, mas por orgulho pelo que esses números nos proporcionou de alegria.

Mas a paixão é inexplicável. É daquela que faz você acreditar até no último segundo, aquela que mesmo num dia nublado não tem vergonha de sair de azul e branco pra contrariar o céu e saber que sobre uma tempestade ainda há um firmamento azul, aquela paixão que transforma simples torcedores em guerreiros debaixo de sol, de chuva, pegando estrada e indo contra matemáticos.

Eu, com a camisa celeste, me sinto a pessoa mais poderosa e respeitada do mundo, pronta pra enfrentar muitas batalhas, que mesmo algumas perdidas, não esquece que tudo é sempre uma guerra. Ser cruzeirense vai além do céu, além do coração, não apenas de alma, vai de um algo inexplicável que nem a ciência humana consegue explicar. Não é a minha vida, essa depende de muitos fatores mundanos, mas vai além dela.

Amigos, namorados, colegas, trabalhos vão, vem, conhecemos e reconhecemos. Mas clube do coração não. Falam que “é só um time”, “é só um clube”, “eles ganham pra isso e você torcendo/sofrendo ai a toa”, mas vai dizer isso pra um coração?! A razão até pode entender, mas o coração não entende porque não é questão de entender, mas de sentir.

Meu amor não pode ser descrito por palavras porque não consigo organizar um sentimento em meio a letras. Mas sei que é algo que me traz a certeza que nunca te abandonarei, por mais que apareçam pernas-de-pau, ladrões, placares desfavoráveis, uma parte de uma torcida imbecil que é capaz de brigar entre eles ou até desistir fácil demais. Eu nunca te abandonarei.

Amo-te muito Cruzeiro e agradeço por cada segundo de felicidade que me presenteou. Parabéns pelos 91 anos. Cruzeiro Sempre!