LA’11 Cruzeiro 3 x 0 Estudiantes

E o Cruzeiro fez bailar um “forró” na Argentina!

O Cruzeiro enfrentou essa noite o Estudiantes com a tarefa de assegurar a melhor campanha na primeira fase da Libertadores e assim cumpriu a tarefa.

A esquadra celeste jogou certinho, marcando muito bem e não deixando espaços para o time argentino. A equipe tentava ir ao jogo com trocas de passes rápidos, mesmo o estado do gramado mal possibilitando a bola rolar “redonda”.

O Estudiantes pressionou logo de inicio, mas como toda grande equipe começa com um grande goleiro, lá estava Fábio.

O Cruzeiro conseguiu abrir o placar logo no inicio do jogo com Thiago Ribeiro, sufocando a equipe argentina. Restou administrar e ampliar o placar.

Destaque positivo nesse jogo para Leandro Guerreiro e Wallyson. O Guerreiro fez a sua primeira partida boa com a camisa celeste e Wallyson, mais uma vez, foi bem, dando assistência para um gol e marcando outro.

Pablo também fez uma bela partida, marcando como nunca a sua lateral, com tanta vontade que lhe rendeu um cartão amarelo, mas vontade ele tinha muita.

Cuca optou por escalar o time com 3 volantes, devido a ausência de Montillo, dando maior liberdade para Gilberto chegar a frente.

Everton e Farias entraram bem na etapa complementar, sendo que o primeiro deu assistência ainda para Gilberto em seu gol.

Então ta anotado: Cruzeiro 8 x 0 Estudiantes de La Plata na Libertadores em 2011!

O Cruzeiro mostrou, mais uma vez, que tem time. E mesmo sem Montillo, ainda não perde a classe do seu futebol.

Anúncios

LA’11 – Cruzeiro 5 x 0 Estudiantes

Desde 2003 uma vitória não me deixou tão feliz assim!

5×0 desde então até que tivemos contra times (relativamente) grandes. Pelo que eu lembro agora, sofreram com esse placar o galinho e o Palmeiras. Mas o de hoje teve um gosto especial!

Ahhh Estudiantes hijo de una rapariga! Apesar que a revanche verdadeira só se tem na final, essa vitória por 5 a 0 ficará na memória! Não só na nossa, mas nas suas também!

E que Cruzeiro foi esse de hoje? Valeu Cuca por ter lido meu último texto! (Deixe eu me achar um cadinho… =P) O Cuca foi ousado, deu uma de professor pardal, até assustou um pouco… mas deu certo!

O Cruzeiro tinha espírito de La Bestia Negra. Se impôs, jogou muito! Esqueceu intriguinhas bestas e apenas se ocupou em fazer o que sabe: jogar futebol.

Dar um baile foi só detalhe.

Wallyson entrou bem e com um chute desviado abriu o placar. Já mostrava que a sorte estava ao nosso lado!

Montillo – magnífico no jogo – após bela jogada na direita, achou Roger com uma virada de jogo e o cara – tachado de chinelinhos tantas vezes – encarou Veron e marcou o seu, deixando claro que quer mostrar serviço!

O terceiro gol foi uma pintura: Victorino faz um lançamento pra Henrique, que só da um tapa na bola pra Roger retribuir a assistência para Montillo, que sai do defensor, dribla o goleiro e pá! Golaço! (Ah… eu num sei narrar gol não, ver o vídeo vale mais a pena!) =P

Fomos ao intervalo com o placar já bem favorável, mas quando se trata de Estudiantes… sei lá! Eu olhava pro placar na Arena a minha direita e só pedia pro Cruzeiro ampliar. Quem nunca viu um 3×0 virar um placar perigoso?!

E no segundo tempo o Estudiantes voltou um pouco mais atento que a esquadra celeste, tomamos certo sufoco, mas tinhamos o Fábio lá atrás pra no ajudar. E mesmo assim, a história do “quem manda aqui” logo voltou ao nosso favor.

O quarto gol foi um outro mega gol, que na sobra da zaga, Montillo pega na veia e manda pro gol. Pode até ter sido um pouco de falha do goleiro, mas foi um outro golaço!

O quinto gol foi só pra fechar a fatura, garantir um placar que nossa freguesia doméstica acostumou em dois anos seguidos: Cruzeiro 5×0 Estudiantes. Quem mandou desfilar com a bandeira do galinho?

Ouvir “olé” no primeiro tempo, falar coisas não muito educadas praquele camisa 11, pular com a música “deixa de bobeira, deixa de bobagem…” contra um rival internacional… não tem preço!

Pablo honrou muito bem o manto celeste; Gilberto jogou demais na lateral esquerda; Victorino fez uma bela partida, já mostrando porque será o nosso xerife; Gil esteve muito seguro; Roger abusou do tanto que jogou bola; Montillo nem precisa dizer o quanto foi bem; Paraná e Henrique mostraram porque temos os melhores volantes do Brasil – nem precisou do Fabrício em campo pra constatar isso. Wellington Paulista foi o Wellington Paulista de sempre (¬¬).

Nota triste apenas ao infeliz que jogou um chinelo em campo, no resto é só felicidade!

Fotos: Olé e LucasBois

Luciana

Libertadores`11 – Cruzeiro x Estudiantes

Hoje finalmente começa o ano de verdade!

Podem até ter um discurso programado que não tem clima nenhum de revanche, mas cada cruzeirense que existe sabe qual é a verdade.

Revanche de verdade, a tal da “vingança que se come em prato frio” seria apenas em uma possível final… Mas já começando como em 2009, pegamos esses caras na estreia da Libertadores, em casa, e com o mesmo juízão apitando.

Me lembro bem daquele jogo. Estava bem complicado, e graças ao nosso camisa 9 da época (que na verdade vestia a camisa 25) garantimos uma vitória. Quem sabe o camisa 9 desse ano faça diferença (ao nosso favor… porque na maré que a camisa 9 do Cruzeiro anda, vai saber… né!)

Espero de coração que o Cuca não faça loucuras como andam dizendo por aí… Libertadores é outro assunto e contra o Estudiantes… ah… tem um gostinho bem especial! Queremos a vitória, só ela nos importa! Que dêem sangue, raça, suor… mas que seja conquistada a vitória.

Deixem as birrinhas de lado, a corneta também. Agora o que importa é a vitória!

Isso aqui é Libertadores da América!

Simbora Cruzeiro!