Aqui é Cruzeiro!

Publicado por em sex, 06/07/2012 em Crônicas, Geral

Design Guilherme Prates

Um tal jornalista veio ao público ontem falar do Cruzeiro com um título de “Perrella deixou o Cruzeiro como terra arrasada”. Dois trechos me trouxeram maior indignação:

“Qualquer movimentação da diretoria na busca de novos rumos termina em fracasso e gozação. O exemplo recente é a contratação de Lorenzetti. Pra mim, uma farsa que tentou desviar as duas grandes contratações do rival: RG-49 e o goleiro Victor, e o sucesso do menino Bernard no último jogo.”

“Celso Roth, sua comissão técnica, a diretoria de futebol, o presidente, todos estão acobertados por um esquema jornalístico sobrevivido às penúrias dos Perrelas.”

Passo longe de ser jornalista, minha coluna aqui é de opinião. Mas muito me estranha o comportamento de certos que se formam para isso e pegam como cargo/função a necessidade de desestabilizar um clube.

Todos sabem que o Perrella não é santo, que arrasou com os cofres do Cruzeiro, mas diferentemente do que esse dito “jornalista” disse, a diretoria busca equilibrar sim as contas do Cruzeiro com um projeto verdadeiro e sobretudo, com inteligência.

Lorenzetti não veio, ok! Mas outros bons jogadores vieram. Alexandre Mattos tenta com inteligência e paciência reestruturar o Cruzeiro e a idade dos novos contratados estão dentro desse projeto do clube, que aliás, começa a valorizar também os meninos da base.

Aliás, Ronaldinho Gaúcho e Victor (10 milhões de reais pro ex-gremista) são “novos”, inclusive. Eu sei que é inevitável, mas – particularmente – eu odeio a comparação do Cruzeiro ao Atlético.

Ou será que vão esquecer-se das dívidas que o galinho já tinha antes do Kalil e voltou com uma mesada de 200 mil reais (com correção de juros passa pra 640 mil reais, confere?) para o Ricardo Guimarães nesse presente mês? Aliás, o “Galo na Veia” apareceu justamente pra tentar abater esse valor, né?

Se quer comparar o galinho com o Cruzeiro, sinceramente, eu te truco.  Que tal olhar para o próprio umbigo antes de tentar falar mal dos outros.

Quem tem esquema de jornalistas em “penúria” aqui?

Por que não fazem o questionamento de onde o time do lado de lá está conseguindo pé de dinheiro? É normal um time sem marketing, que nas últimas pesquisas apresentava entre as 4 maiores dívidas do país contratar um goleiro de 29 anos por 10 milhões de reais e um jogador que tem um salário milionário? De onde vem essa arrecadação? Por que não se faz esse questionamento???

Faz me rir quem diz que é de venda de jogador, já que o próprio Ricardo Guimarães vinha com 15% de direitos sobre o valor da venda. NUNCA comparem as atitudes do Cruzeiro com as do galinho ou como contrapartida. O time do outro lado da lagoa teria que nascer novamente pra ser um argumento de peso contra o meu time.

O Perrella pode ter sim roubado muito do Cruzeiro, se beneficiando e tendo o próprio clube como réu. Nós questionamos a venda do Fred e do Ramires até hoje. Como foi utilizado esse dinheiro? E por que o senador enriqueceu tanto durante a passagem pelo clube? Ainda, infelizmente, temos laços com esse tal BMG para financiar o Cruzeiro. Mas há uma política no clube para não entregar a mãe pra esse banco, enquanto outro clube já vendeu até a alma. E questionam apenas o Cruzeiro?

Há certos “jornalistas” que não merecem respostas, que escrevem mais piadas do que colunas de opinião ou textos jornalísticos. Sinceramente, vai catar coquinho ou aprender a ter uma argumentação melhor.

Agora eu que fiz meu desabafo, senhor “jornalista”.

O Cruzeiro não precisa de circo midiático, um jogador de fama internacional e apoio de entidades maiores para ser grande, temos torcida, história e uma sala de troféus que diz por si só.

E por favor, antes que falem de “aluguel”, lembrem-se da mesada de 640 mil reais. Teremos o Mineirão de volta no ano que vem, já a mesada pro banqueiro será vitalícia.

Para não dar bom dia a cavalo

Design Guilherme Prates

Com gestos e palavras, muitos essa semana esperam dar “bom dia ao cavalo”.

Mas uma pessoa corre desse quadrúpede e vem fazendo um bom trabalho: Alexandre Mattos.

O trabalho que ele vem desenvolvendo no Cruzeiro é de se admirar: não vem aparecendo na mídia, buscando muito a melhora do Cruzeiro, dando atenção à base, enxergando as deficiências do time, sem fazer todo o escarcéu que seus antecessores faziam e deixando a conversa apenas nos bastidores.

Todas as entrevistas do Alexandre são sensatas: não comenta o que tentou e fracassou, não diz “quem” deseja e nem cita “quem” pode sair. Se respeitarmos e se ele mantiver a postura que vem tendo, o Cruzeiro voltará a aparecer entre os grandes candidato em muitos campeonatos e apagará a má impressão que deixou na temporada passada.

Especula-se que o Mattos trará bons jogadores em certas posições, mas ninguém ainda soube dizer em público quem seriam. Apesar de a curiosidade atiçar a todos, isso é bom para o torcedor, além do que não possibilita que a imprensa crie uma “novela”.

pausapraconversa.blogspot.com

Muitas negociações são interferidas e conversas são prolongadas devido a esse fator. Quantos outros times gostariam de saber que esse ou aquele jogador está aberto para negociações?

Alguns torcedores sabem o que vem acontecendo, mas, pelo que percebo, todos estão respeitando o pedido do Alexandre Mattos. “Pena” que o papel do jornalista é futricar, descobrir, informar e muitos acabam dando como notícia a “possível” negociação, o que a pessoa tal “pensou” em fazer e tal. Caso você deseja saber alguma coisa, se apegue aos fatos: se concretizou, se desistiu, se emprestou… Pois pode acabar pensando que foi iludido ao final.

Essa tem que ser uma relação de confiança entre time e torcida, porque imprensa tem um trabalho muitas vezes cruel aos nossos olhos e o papel dela é noticiar, mesmo que não seja necessariamente “notícia”.

Eu não importo pra quem dá “furos”, essa briguinha por holofotes só dão preguiça pra quem não trabalha com jornalismo, porque creio que em meio a alguns deles isso seja a maior marca de notoriedade de seu trabalho. Não pela qualidade.

Principalmente uma imprensa que é “trollada” pelo nosso companheiro bloguerreiro Cruzeiro News ao vivo de maneira risória. Por que dar bola para eles?

Alex Silva e Sousa vieram sem nenhuma especulação ou novela anterior e foram, ao menos no papel, bons reforços. O Alexandre vem trabalhando (com qualidade) com o pedido de sigilo absoluto, temos que confiar e respeitar. Pelo bem do nosso time.

Aliás, mineiro bom é o que sabe comer quieto.

Sigam a bloguerreira no twitter: @LucianaBois

Procurando pêlo em ovo com comparações

Sério… que tempos chatos temos que viver! Caramba! Temos que aceitar que o Cruzeiro está em Minas Gerais, mas como comparar ao time de Vespasiano?

São coisas que eu não entendo… que danada de crise é essa que querem inventar?

E daí se elas estão fazendo mais contratações? Me falem qual reforço é de qualidade? Leonardo Silva?! O zagueiro que quando comparado ao Thiago Heleno e a zaga do outro lado da lagoa, era um bom zagueiro?! Aquele mesmo que pertenceu a terceira zaga mais vazada entre os 10 primeiros colocados de 2009?!

Ou vão falar de Mancini, um jogador que a 3 anos amargava a reserva na Europa?!

Me poupem!

E o Cruzeiro tá falido é la na casa da mãe Joana (pra não falar outra coisa)! Se vende para não ir pelo caminho de uns atléticos da vida. Não contrata logo porque não há boas opções no mercado que valha o que pedem ou que não tenhamos que fazer absurdos. Se caso não concordem, quero ver seus argumentos aqui embaixo, por favor! Mas lembrando que alguém ainda irá chegar.

Lembram de 2008?! O galinho montava uma “selegalo” para os 100 anos e metiam o ferro no Cruzeiro porque ia apostar num tal de Henrique, em um tal de Marquinhos Paraná, outro Fabrício… e ainda ficar com o Jonathan na lateral pra disputar uma Libertadores da América! “Que time de grego era esse?”

Pois bem… deu no que deu! Querem começar essa história de novo? Estamos infinitamente melhores que 2008, o custo do nosso time é bem mais alto, por isso que tem que vender e ter cuidado com o que se contrata. Manter uma base boa em 3 anos não é tarefa fácil, renovação e salários desses “zés ninguéns” custam caro, só não enxerga quem acha que rosa é cor de macho.

Como se pode comparar um plantel que vem pra quarta Libertadores seguida com um outro que quer tomar surra numa quarta Copa do Brasil seguida? Como comparar o galinho ao Cruzeiro? Não gente! NÃO TEM COMO!

E to nem ligando se eles conquistarem o mineiro de novo, esse campeonato serve para os times do interior. É certíssima a valorização que estes dão para ele, mas e o pessoal daqui?! Deveria se preocupar com coisas maiores, se caso houvesse coisas maiores para disputar… e olha! Só o Cruzeiro tem coisas mais importantes para se preocupar!!! E ainda querem comparar?

Pronto, falei… Que tem uns cruzeirenses que me dá calo nos olhos quando vejo o que eles escrevem. E olha que aqui nem quis falar da mina de dinheiro que apareceu pro outro lado da lagoa, isso é um assunto pra outra hora.

Nos compare a adversários reais por favor!

Luciana

Nota: acho que muitos não entenderam o tema central do meu texto que é ‘não fazer comparações com o galinho pra acharmos que estamos no fundo do poço’! Precisamos de contratações sim, um centroavante e, no mínimo, um lateral. Mas estão utilizando argumentos fajutos para defender o lado de lá e menosprezar o nosso time. É verdade que com este elenco não ganhamos ainda nada e a manutenção é cara, mas estamos vivendo o momento em que todos estão na sua melhor fase, vocês teriam coragem e “bom senso” pra desfazer de alguém?

RESPEITAR PARA SER RESPEITADO

Fim de jogo. Noite chuvosa e triste. Cruzeiro acaba de perder o “clássico”. Eu, mal acostumada que sou, me sentia no meio de um pesadelo. Tá, tudo bem, coisas da vida e do futebol… Cruzeirense, acostumado a ser combatido, não morre por isso!

Aí entro na internet, buscando interagir com outros cruzeirenses, tentando diminuir a dor, e eis que fico sabendo que um certo jornalista/comentarista/projeto de apresentador/participante de programas de tv/ torcedor das frangas, tinha feito questão de mostrar, para uma atônita China Azul, a sua mais nova função: Cheer Leader do time zebrado.  Ou pomponete do time de vespasiano, como queiram.

Sim, o mais novo animador de torcida, com seus cabelos melados de gel e sobrancelha feita, estava a comemorar, perto dos jogadores, mais um gol de seu time do coração! Que gracinha!

Esqueceu sua profissão, esqueceu o real motivo de sua presença no estádio, que era trabalhar, esqueceu que ali, vendo tudo, estavam torcedores que o prestigiam em seus trabalhos na mídia… Esqueceu a educação, a postura, a ética, enfim.

Esse, China Azul, é o mesmo que há pouco tempo atrás, num bar, fez um cruzeirense perder a cabeça, de tanto que torceu, vibrou e provocou, com a vitória do Ipatinga sobre o Cruzeiro. É o mesmo que, há umas duas semanas, também em um bar, comemorou a virada do Grêmio sobre nosso time, numa bruta injustiça, e, dizem, tomou uns petelecos. É o mesmo que, depois do jogo, postou em seu twitter que o Cruzeiro foi burro por jogar em Uberlândia, que o Cruzeiro não respeitou o “galo”, e que o Cruzeiro havia perdido o título ali, naquele jogo (Olhem só, amigos, quem está falando de respeito! Eu não acreditaria se não tivesse lido). Mas também é o mesmo que, em seus programas de rádio, quando substitui os titulares, tenta se passar por pessoa de respeito, cordial, chamando sempre a torcida do maior de Minas a participar…

Não, não tenho nada contra as pessoas da mídia que têm seus times do coração. Longe disso! E até admiro quando assumem, eliminando assim, muitas dúvidas sobre suas opiniões. Isso é louvável, mas pena que não posso citar muitos como exemplo, aqui em Minas. O que sinto, simplesmente, é nojo da falta de respeito, nojo de alguém que usa os microfones para rir, debochar de outras pessoas,  nojo de gente duas-caras, nojo de mídia que persegue um e protege outro, de falta de PROFISSIONALISMO de quem um dia jurou tanta coisa bonita, de jornalistas lambe-botas, de pessoas sem o mínimo de gabarito para exercer a profissão, e honrar o cargo que ocupam. E isso não serve só para o jornalismo esportivo.

Citando um pequeno exemplo, para que entendam a razão da minha indignação, quando o atlético mineiro caiu, eu estava na casa de atleticanos, rodeada de conhecidos galináceos. Minha reação foi de rir um pouco, falei umas gracinhas leves, porém, sabedora e respeitadora do AMBIENTE onde eu estava, e até por consideração a amigos, não passou disso. Fui pra casa e lá, sim, ri demais, zuei meu marido, abri uma cervejinha para comemorar, pendurei a bandeira azul na janela, comprei jornais no dia seguinte… Mas eu sou TORCEDORA (e torcedora azul, de tão rouxa, ou é o contrário? rsrsrs), e sem compromisso com nenhuma rádio e nem com ouvintes. Poderia ter pisado, não pisei. Poderia ter humilhado, não humilhei. Poderia sair pulando e comemorando, tal qual o sr. Álvaro Damião, mas não o fiz.

E é com esse pensamento e esse jeito de ser, que EXIJO que certos jornalistas cumpram seus deveres. E que certos donos de veículos de comunicação também, viu, sr. Emanuel Carneiro?! Quanta conivência! Também não queremos ser adulados. Queremos apenas a verdade, a real, a imparcialidade, a postura de profissional.

Nem vou aqui discursar sobre outros tantos exemplos de desrespeito para com o CRUZEIRO ESPORTE CLUBE, como o descaso de certo jornal de família atleticana ( lido por cruzeirenses, por sinal)  pela despedida do Sorín. Senão, vai mais um texto inteiro sobre isso. Ufa!

Acham que acabou? Tem mais: depois da derrota para o protegido e querido clube deles, começaram a plantar notícias de jogadores cruzeirenses na noite, numa clara intenção de balançar o líder (ainda considero assim) do campeonato, pois para muitos ali, é inadmissível que o Cruzeiro seja o maior e mais respeitado de Minas, seria muito triste se o Cruzeiro ganhasse mais um título brasileiro. Fiquei indignada!

Então, para terminar, deixo aqui as palavras que escrevi em outro espaço, só para que certas pessoas da mídia reflitam e caiam na real: “SE NÃO EXISTISSE O CRUZEIRO, O ESTADO DE MINAS ESTARIA MORTO PARA O FUTEBOL”! É só pensar em quem sempre disputa títulos,em quem sempre está lá em cima. Se dependêssemos do América e do atlético de Vespasiano, Minas seria como a Bahia.

Enfim, fica aqui o meu protesto em forma de desabafo. Desabafo de quem sente que o clube para o qual torce, merece, mas merece MESMO, muito mais respeito!  Né Adilson?

OBS: Gostem dele ou não ( eu gosto, e muito), vejam se não há a mais pura verdade nessas palavras:

Simone