Obrigada, #Cruzeiro91anos

É um amor que não tem como descrever, é uma paixão que só entende quem sente, é a felicidade de um instante que faz abrir um sorriso pelo resto do dia.

Lembra daquele jogo? Daquele gol? Eu lembro. É aquele, que a lembrança não é apenas uma imagem, mas um sentimento.

Sabe aquele grito que eu dei durante o gol naquele jogo? É o que tenho vontade de gritar quando me lembro daquele segundo de lance. Não se diz respeito apenas a uma história de uma instituição que você aprende a respeitar, mas sobre a história daquele sentimento que ele um dia nos deu.

A maioria dos cruzeirenses já decorou a ladainha dos nossos títulos das “duas Libertadores, quatro Copas do Brasil, dois Brasileiros, duas Supercopas”, mas não é somente para demonstrar a nossa grandiosidade comparado à tantos outros por ai, mas por orgulho pelo que esses números nos proporcionou de alegria.

Mas a paixão é inexplicável. É daquela que faz você acreditar até no último segundo, aquela que mesmo num dia nublado não tem vergonha de sair de azul e branco pra contrariar o céu e saber que sobre uma tempestade ainda há um firmamento azul, aquela paixão que transforma simples torcedores em guerreiros debaixo de sol, de chuva, pegando estrada e indo contra matemáticos.

Eu, com a camisa celeste, me sinto a pessoa mais poderosa e respeitada do mundo, pronta pra enfrentar muitas batalhas, que mesmo algumas perdidas, não esquece que tudo é sempre uma guerra. Ser cruzeirense vai além do céu, além do coração, não apenas de alma, vai de um algo inexplicável que nem a ciência humana consegue explicar. Não é a minha vida, essa depende de muitos fatores mundanos, mas vai além dela.

Amigos, namorados, colegas, trabalhos vão, vem, conhecemos e reconhecemos. Mas clube do coração não. Falam que “é só um time”, “é só um clube”, “eles ganham pra isso e você torcendo/sofrendo ai a toa”, mas vai dizer isso pra um coração?! A razão até pode entender, mas o coração não entende porque não é questão de entender, mas de sentir.

Meu amor não pode ser descrito por palavras porque não consigo organizar um sentimento em meio a letras. Mas sei que é algo que me traz a certeza que nunca te abandonarei, por mais que apareçam pernas-de-pau, ladrões, placares desfavoráveis, uma parte de uma torcida imbecil que é capaz de brigar entre eles ou até desistir fácil demais. Eu nunca te abandonarei.

Amo-te muito Cruzeiro e agradeço por cada segundo de felicidade que me presenteou. Parabéns pelos 91 anos. Cruzeiro Sempre!

Anúncios

Ser cruzeirense é viciante!

O futebol tem dessas coisas… clássico que é clássico, tem que ter emoção.. quando é demais, mata a gente do coração ou de raiva ou de esperanças…

Às vezes o futebol é uma droga, vicia a gente, só faz mal… mas nos leva pras nuvens também… alucinógeno?

Não sei.

Sabemos que para ter vitoriosos, tem que haver seus derrotados.

Eu confesso que quando vejo que meu time está perdendo de 4×1, me dá muita vontade de desistir de tudo… deixar pra lá.. pra que sofrer por causa disso? O tal do futebol que tem 22 homens em campo correndo atrás de uma bola?!*

Eu sou ariana, sou debochada com as pessoas… mal de ariana! Eu sei de quando tem motivo pra que sejam debochados comigo, mesmo que seja por um milésimo de segundo. Então me escondo nesses pensamentos irônicos de falar que ser torcedora não presta.

Mas decidi deixar pra lá! Ser cruzeirense e quase morrer do coração às vezes, vale a pena! Quase morrer de desgosto, de raiva, de ódio… mas quem é cruzeirense, sabe que já tivemos bem mais motivos pra sorrir do que para chorar, já debochamos mais que fomos zuados, já humilhamos mais que fomos humilhados…

Já erguemos mais taças (e importantes taças!) que muitos por aqui. Em um lugar onde a rivalidade ultimamente aparece de vez em quando só pra lembrar que não existe “invictos” na vida real.

Perder faz parte. Só os pequenos, que persistem em ser os derrotados, que soltam fogos a cada gol, a cada falta ganha e comemoram uma vitória “como se fosse” um título. Os pequenos que necessitam de apenas vitórias, não de glórias.

As vitórias dos pequenos, como aparecem só de vez em quando, são sinônimos de “espanta a crise”. Para os grandes, é mais um passo para a glória de ser o melhor no que faz! Se é apenas um passo, sabemos que o no dia de amanhã, a vitória REALMENTE pode ter o sabor de título, não é questão de ilusão, mas FATO.

O cruzeirense não é “arrogante até nas derrotas”. Somos apenas realistas com os fatos, mesmo nas derrotas! =D

E nesse jogo, saber que o time conseguiu diminuir a vantagem do adversário pra 1 gol mostra que tudo é possível, mesmo que as vezes a gente duvide de Papai Noel!**

É por esses motivos que eu agradeço todos os dias a Deus por ter me dado a graça de ser cruzeirense.

*Minha mãe sempre diz isso

**Graças ao @Biofa por ter me feito rir enquanto meu coração sofria nesse jogo!

Obs: Cair da 1ª para a 2ª colocação não é o mesmo que cair da 1ª para a 2ª DIVISÃO!

Luciana