Ídolos?!

Essa semana fomos, de certa maneira, surpreendidos.

Guilherme, ex-atacante atacante cruzeirense, por muitos anos em nossa categoria de base, que ajudou a levar para a Toquinha o primeiro título da Copa São Paulo, campeão mineiro com a camisa celeste em 2008 quis declarar morte ao seu lado masculino e foi para o lado rosa da lagoa.

Deixando as brincadeiras de lado, muitos cruzeirenses ficaram revoltados com essa escolha desse jogador, mas ah… acho que foi uma boa escolha para ele, que é um jogador novo e estava perdido em meio àquela terra onde os brasileiros mal sabem soletrar o nome do time em que ele jogava.

Entendo a revolta da torcida cruzeirense, ver quem gritávamos o nome e comemorávamos gols contra o mesmo rival que agora o abrigará é ruim. Mas… é o futebol.

Guilherme nunca foi um ídolo da torcida cruzeirense, assim como Leonardo Silva também não. Cito apenas esses dois porque foram os que nesse inicio do ano mais falaram sobre a mudança pro time de lá.

A meu ver, a torcida deveria parar de criar ídolos instantâneos, não é só um título que consagra um ídolo, mas as suas palavras, atitudes, o respeito, a postura e a raça ao defender o manto celeste.

Culpar a diretoria do clube por não ir atrás desses jogadores antes que o Atlético fosse atrás também é meio babaquice. O Guilherme é um atacante de fora da área e nesse momento temos dois jogadores em excelente fase disputando a titularidade. Dois jogadores que rondam a artilharia das duas competições que participamos, entre elas, a de maior importância das Américas.

Lamentar que o Guilherme esta indo pra lá por quê? Temos o melhor ataque do Brasil, o melhor da Libertadores da América. Guilherme pra que?

Revolta como essa foi na ida do zagueiro Leonardo Silva para lá… Ele não queria ficar, enrolou demais para renovar o contrato. Todo mundo acompanhou essa novela chata… detonaram o Cruzeiro pela falta de insistência, falando que assim iríamos cair, que era o melhor zagueiro, que agora eles teriam a melhor zaga do Brasil e blábláblá.

Três meses depois, cá estamos com a melhor zaga da Libertadores e do Campeonato Mineiro, sem Leonardo Silva mas sim com Victorino, Gil e Leo. Pra que Leonardo Silva mesmo? O qual agora esta comendo banco pra Werley???

Lembram o que eu escrevi sobre a saída dele pra lá?

Vamos parar de criar ídolos instantâneos! Podem ser grandes jogadores, mas fazer essa revolta toda por eles, não vale esse tempo gasto. Eles são profissionais, pagos para exercer essa profissão. Identificação com um clube não se ganha apenas por um título… fazer o que? É o futebol ue. Aceitem! Beijar um escudo é fácil demais, expressar o verdadeiro significado desse gesto que é difícil.

Grandes jogadores que eu admiro dentro e fora de campo que honraram a camisa do Cruzeiro pra mim são: Alex, Sorín e Edu Dracena (sim, ele mesmo!) dos que eu vi jogar, é claro.

Esses eu acredito que pensariam muito se trocariam uma história que teve no Cruzeiro apenas por dinheiro pelo lado de lá.

Luciana

Anúncios